"If I ever allow genuine compassion to be overtaken by personal ambition, I will have sold my soul" - James Nachtwey

06 fevereiro 2006

Manuela e os "Atrasados Mentais"

A revista Correio Domingo, do Correio da Manhã, trazia este domingo uma grande entrevista com Manuela Moura Guedes.
Entre outras afirmações interessantes, Manuela Moura Guedes diz que a maioria dos seus críticos "são uns atrasados mentais e não sabem sobre o que estão a escrever". Manuela acha portanto que quem se atreve a criticá-la só pode ser "atrasado mental". Junto-me então também eu a esse grupo: nunca gostei do estilo de Manuela Moura Guedes, acho que o que ela fazia não só não era jornalismo como era uma ofensa ao jornalismo, e que a decisão do espanhóis de a tirarem da frente do ecrã só pecou por tardar tanto.
Moura Guedes diz na entrevista que nunca deu a sua opinião durante os noticiários, "simplesmente reagia aos acontecimentos, e qualquer comentário servia apenas para chamar a atenção de que aquela notícia podia ter outra leitura ou interpretação". Pergunto: e essa não era a função da notícia? Mostrar os vários ângulos da questão? Não é ao pivot que compete estar a fazer comentários! Se queria comentar, muito bem, mas deveria escolher outra profissão, na qual fosse paga realmente para isso.
Quando questionada sobre o caso da abertura do telejornal com o célebre caso do pontapé do Marco do Big Brother, Manuela responde da seguinte forma: "Quando há histórias que mexem com o país como o pontapé do Marco do Big Brother, isso é ou não é notícia? Talvez não tivesse direito a honras de abertura...". Histórias que mexem com o país?! Qual crise económica, quais notícias sobre o governo? O que o povo quer é o pontapé do Marco! E o mais triste é que isto é verdade para grande parte das pessoas... e em muito graças à "qualidade" dos programas que a TVI oferece...
Manuela Moura Guedes diz ainda que não consegue ver o telejornal da RTP, porque "não tem alma". Já a SIC, considera "menos cinzenta".
Quando lhe perguntam com quem embirra mais a apresentar as notícias, não hesita: O "Zé Beto (José Alberto Carvalho). Porque "ele toma-se de inteligente, finge-se de inteligente e não é nada. É apenas uma voz". Ao que acrescenta: "Não sei sequer se ele tem ideias. E depois aquele ar sério e o vozeirão...". Pois é, Manuela não sabe se José Alberto Carvalho tem ideias. Talvez porque este, ao contrário dela, não faz questão de as exprimir quando está a apresentar o telejornal. Mas o que se há-de fazer? A televisão está cheia destes "atrasados mentais" sem ideias...
Fica aqui o link para a entrevista, para quem estiver interessado em ler mais.

4 comentários:

Entropic Thing disse...

Não só é/foi uma má pivô como ainda é má colega. Finalmente alguém teve o bom senso de a tirar da frente do telejornal, aquilo já é suficientemente mau sem ela, chiça!


^^/

planaltobie disse...

Não sou do "meio", mas concordo com a vossa visão.

PCosta

CN disse...

deve haver alguma razão para ela se airar assim ao José Alberto Carvalho... talvez inveja, já que ela perdeu a pantalha e ele não...

PC disse...

Manuela e a sua grande boca...