"If I ever allow genuine compassion to be overtaken by personal ambition, I will have sold my soul" - James Nachtwey

02 outubro 2005

Paramiloidose?!

Uma das regras fundamentais do jornalismo é: o primeiro parágrafo (ou lead) é o mais importante, é aí que deve estar a informação fundamental da notícia. Outra regra, é que as palavras utilizadas devem ser conhecidas, passíveis de ser compreensíveis pela maior parte do público.
Básico, não é? Então como é possível que jornalistas, já com alguns anos de profissão, consigam, numa só reportagem, quebrar estas duas pequeninas regras?! Acabo de ver, no Telejornal da RTP, uma notícia que é anunciada como uma contestação em relação aos medicamentos, por parte da Fundação Nacional de Paramiloidose. Ora, admito que seja ignorância minha, mas eu NÃO sabia o que era a tal Paramiloidose, e, atrevo-me a dizer, provavelmente há muito mais gente que não sabe. Depois de se ouvir tal palavrão, ficamos na esperança que a jornalista comece a reportagem por explicar o que é a tal de Paramiloidose... Mas não, mergulha logo para a apresentação do problema, os testemunhos das pessoas que fazem parte da fundação. Tudo muito bem, só faltava um pormenor: saber em que consiste a doença!!
Mas ainda mantive a esperança durante uns minutos, podia ser que a explicação aparecesse pelo meio. Expectativas goradas! A reportagem termina, e nada, zero, nicles.
Pronto, tive que recorrer à Internet para descobrir afinal o que é a tal Paramiloidose. Qual não é o meu espanto quando verifico que é a vulgarmente chamada "doença dos pezinhos"! Pergunto: não seria muito mais simples referir a doença por esse nome?... Ou pelo menos explicar que era o equivalente?...
E o pior é que isto não é caso único. Não sei se é um desejo incontrolável que os jornalistas têm de mostrar que sabem palavras difícieis, mas constantemente são utilizados termos que quase de certeza que a maior parte das pessoas não conhece! E para quem é a informação? Não é para o público? Como pode uma pessoa perceber um problema que é apresentado numa reportagem, se não sabe a que se refere? O jornalista não é um técnico, pelo contrário, tem a obrigação de traduzir os termos técnicos!
Mais uma vez: admito que a ignorância seja minha, mas confesso, não sabia o que era a Paramiloidose.

1 comentário:

Entropy disse...

E o mais grave é que tenho a impressão que na Sic cometeram o mesmo erro.
Como são inteligentes estes jornalistas, eles sabem tudo :P

um abraço!