"If I ever allow genuine compassion to be overtaken by personal ambition, I will have sold my soul" - James Nachtwey

05 outubro 2005

Mais uma: "inversão do ónus da prova"

Vamos lá a mais uma liçãozita de jornalismo: a coisa mais importante para um jornalista é ser entendido pelo seu público, e entender aquilo que está a dizer.
E agora vou aqui relatar mais um caso em que definitivamente foi ignorada essa regra: O Presidente da República, no seu habitual discurso do 5 de Outubro, falou na necessidade de "inversão do ónus da prova". E os jornalistas mandam-nos a notícia assim, sem mais nem menos, tomem lá o vocabulário jurídico, e safem-se como puderem! Sim, como toda a gente sabe o que é o ónus da prova, certamente que também sabem o que é a inversão do ónus da prova!...
E o mais preocupante no meio disto tudo é pensar: será que os próprios jornalistas sabem aquilo que estão a dizer? Como podem exigir do público que entenda, se muitas vezes eles próprios não entendem?!
Haja bom senso, deixem de se armar em médicos e advogados, e sejam jornalistas!

3 comentários:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Entropy disse...

LOOOOOOOOOOL

Essa está demais :P


Tens de entender uma coisa: os portugueses são muiti inteligentes, de certeza que sabem o que é a coisa da prova bónus sem "b" :P

:O