"If I ever allow genuine compassion to be overtaken by personal ambition, I will have sold my soul" - James Nachtwey

23 março 2005

Os Jovens e as Notícias

Num estudo divulgado há pouco tempo, concluiu-se que os jovens portugueses, na sua maioria, dão pouca atenção às notícias. O mesmo é dizer que não vêm telejornais, não ouvem noticiários na rádio, e ler jornais ainda muito menos.
E isto não surpreende. Basta andarmos na rua, ou nos trasportes públicos, e observar a população jovem. Quantos têm um jornal na mão? Quantos lêem uma revista de qualidade, como por exemplo a Visão? Os dedos de uma mão seriam suficientes para os contar... E mais grave é ainda, quando em plena aula de um curso de Ciências da Comunicação, perante a pergunta "quem é que lê jornais?", a maioria confessa não ter esse hábito. É este o futuro do jornalismo?...
E qual será a desculpa?... Hoje, em plena era da globalização de tudo, incluindo da informação, em que proliferam os jornais gratuitos, quem pode ousar dizer que não se informa porque não pode? Não, hoje só não se informa quem não quer!
E não são só os jovens que não se informam. Mas é deles que falo hoje, não só porque é a eles que se refere o estudo, como acho que ninguém se pode constituir como pessoa se não estiver informado, e ainda porque, como jovem, me entristece esta falta de informação daqueles que serão os homens e mulheres de amanhã.
E o que fazer perante isto? O que fazer para aproximar as notícias dos jovens? É preciso, por um lado, que estes percebam a necessidade de estar informados. Mas não será que por parte desses tão grandes grupos económicos que há hoje no campo da comunicação social, poderia também haver iniciativas nesse sentido? Como por exemplo, à semelhança dos jornais gratuitos que já existem, fazer um que fosse mais direccionado para a camada jovem. Um jornal mais apelativo, com assuntos que interessam aos jovens, mas sem cair nas banalidades das revistas de adolescentes. A informação mostrada como algo que não tem de ser chato, como algo que também lhes diz respeito. E distribuir o jornal nos estabelecimentos de ensino, locais frequentados por jovens, etc.
Enfim, isto é só uma ideia, utópica talvez... mas como futura jornalista, preocupa-me realmente a forma como a informação passa ao lado dos mais jovens, e preocupa-me ainda mais verificar que muitos dos jornalistas de amanhã nem sequer conhecem verdadeiramente a informação. Simplesmente porque não se informam...

3 comentários:

Anónimo disse...

Creio que um dos motivos para este desinteresse passa pela própria educação. Se os pais não compram jornais, se não se interessam pelos noticiários - se os pais não têm hábitos de leitura também não podem incuti-los nos filhos.
E depois há as escolas. Qual tem sido o trabalho das escolas neste campo? Eu não me lembro de ter alguma disciplina nem nenhum professor que nos tentasse aguçar o interesse pelo mundo à nossa volta, que procurasse discutir connosco os assuntos mais prementes da nossa realidade, as notícias...
Não, nada disso - eles limitam-se a martelar o que vem nos manuais; porque as escolas não formam cidadãos, formam, sim, marrões e depois é que se vê nas faculdades...

Temos de admitir, vivemos num país culturalmente atrasado. É preciso tomar medidas, fazer qualquer coisa, mas torna-se complicado quando o interesse do público está mais volta para os últimos acontecimentos da Quinta das Celebridades.

Oh santa ignorância!!!

Isleen

Joana Capitão disse...

Não poderia concordar mais contigo.
As escolas, têm, sem dúvida, de ter um papel determinante nesta matéria, e então as faculdades ainda mais obrigação têm...
Há que sair desta mediocricidade, desta lógica dos "reality shows". Aquilo é realidade?! Não, enganam-se, a realidade está lá fora, à nossa volta, todos os dias. E há pessoas que pensam que ignorando ela desaparece... e então preferem não saber. Meus amigos, esse não é o caminho. Informem-se, por favor!!!

Obrigada por mais um comentário neste meu recém nascido blog. ;)

Construindo Saberes disse...

Bom na condição de jovem também creio que tenho condições para comentar sobre este assunto eu não descordo com você mas penso que esta situação sempre esteve presente em nossa sociedade, não é lago novo e espantador. Que é verdade que alguns jovens não se interessam pelo futuro sim é verdade,porém,existe uma porção de jovens assim como você estão preucpados com o dia de amanha e investem em cursos, afinal se não tivesse jovens preucpados os vestibulares estariam extintos e o ENEM teria seu fim decretado.
Na minha opnião jovens que estão realmente preucpados com o futuro deve cada vez mais deixar os despreucupados de lado e unir forças com quem visa em um futuro melhor.Abraços e até a proxima