"If I ever allow genuine compassion to be overtaken by personal ambition, I will have sold my soul" - James Nachtwey

18 novembro 2005

Está Explicado...

Ainda a propósito dos jornais gratuitos, acabo de ler uma notícia na edição de hoje do Diário de Notícias, que de alguma forma pode ser esclarecedora em relação ao post anterior.
A notícia dá conta da realização do II Congresso Jornalístico de Portugal e Espanha, em que participaram João Marcelino, director do Correio da Manhã, José António Saraiva, director do Expresso e Francisco Pinto Barbosa, director do Destak, entre outros.
Mas foi no debate sobre "Qual a veracidade dos jornais gratuitos" que as coisas terão ficado mais animadas. Após a acusação de João Marcelino, de que os gratuitos "são suportes impressos destinados a veicular publicidade", e que apostam pouco na informação, Francisco Barbosa respondeu que "é preciso compreender que são produtos diferentes. O Destak destina-se aos não leitores e quando se fala de qualidade, isso deve ser tido em conta" (sublinhado meu).
Então quer dizer que, sendo um jornal destinado aos não leitores, como o classifica Pinto Barbosa, as exigências de qualidade são menores? Pronto, está explicado porque depois se encontram notícias como aquela de ontem, e como repetidamente o Destak mostra uma enorme falta de cuidado na verificação da informação.
O problema é que não são só os não leitores que lêem o Destak... Aliás, nem sei o que seja isso de não leitores, se uma pessoa lê um jornal que seja, já é leitora... De qualquer forma, é um leitor, e merece ser respeitado como tal. E o mínimo que o jornal pode fazer é fornecer informação exacta aos seus leitores. Agora se depois a organiza de forma mais "light", isso já é outra história... mas não tem necessariamente a ver com qualidade.
Portanto, Pinto Barbosa ao dizer isto, veio dar razão a João Marcelino. O Destak parece estar mais interessado em veicular publicidade, do que propriamente em informar. E isso é mau... mau para o jornalismo, mau para o público em geral, se tivermos em consideração que há pessoas para quem os gratuitos são a única fonte de informação.
O Destak tem vindo a promover-se com o slogan: "Para quem não gosta de ler palha". O pior é com juntamente com a "palha", deita também fora a qualidade...
Fica aqui o link para quem quiser ver a notícia completa.

1 comentário:

Aisling disse...

Realmente é inacreditável... Eu leio habitualmente o Metro, não o Destak mas realmente a qualidade das notícias não é das melhores, desde contradições na própria notícia a erros de escrita (Sim, incrível, não é?!), há de tudo um pouco. E apenas por ser gratuito. Quer dizer que por ser uma distribuição gratuita está isenta da obrigação de haver qualidade?! Ainda bem que não leio apenas jornais gratuitos... E essa dos 'não leitores' é um argumento completamente ignorante mesmo! Grande blog que tens aqui, parabéns! Não consegui resistir a colocar um link no meu, espero que não te importes. E viva a qualidade! ;)