"If I ever allow genuine compassion to be overtaken by personal ambition, I will have sold my soul" - James Nachtwey

27 março 2006

A Realidade Apresentada Pelos Media: Um caso Específico

Nos últimos dias, as notícias do regresso forçado de milhares de portugueses emigrantes no Canadá, têm enchido páginas de jornais e preenchido largos minutos de telejornais.
Mas parece-me que neste, como noutros casos, para lá da exposição emotiva da problemática em causa, fazia falta uma análise mais fria, fazia falta que se colocassem algumas questões que não vejo ser colocadas...
Pelo menos eu, enquanto consumidora de informação, não me sinto totalmente informada em relação ao que está em causa. Só sei que de um momento para o outro temos um enorme drama de milhares de pessoas a serem forçadas a regressar em pouco tempo de um país no qual estavam há vários anos, onde tinham uma vida feita, tinham carro, casa, etc. Muito bem. Mas não sei quais as razões que os levaram a estar ilegais durante tanto tempo; não se legalizaram porque não queriam? Porque não puderam? E já agora, qual é a lei de imigração no Canadá? Obviamente que não poderia ser exposta de forma exaustiva, mas se calhar não ficava mal um breve resumo dos principais requisitos para a legalização naquele país... Eu não sei quais são, e calculo que a maior parte das pessoas não saiba...
Os media supostamente têm também a função de ajudar a compreender a realidade, de explicar, em determinada situação, aquilo que está em causa. Mas o que se vê, muitas vezes, é que procuram mais o espectáculo e a dramatização do momento, do que se preocupam em que a opinião pública perceba o que está em causa. E depois de todo aquele "calor" do momento, de repente tudo desaparece, já não vende, já cansa, cai no esquecimento. E nós ficámos sem saber o que realmente estava ali em questão.
Às vezes tenho dúvidas se isto será realmente informação...

2 comentários:

Mais Notas Soltas disse...

É a informação nervosa, histérica e emocional: "Meu Deus!", grita o jornalista. "Que horror!, lamenta o pivot. E a imagem muda para uma mulher de quarenta anos, a chorar, porque estava a residir ilegalmente no Canadá e foi expulsa. "Pois é!" - diz o pivot da Tv - "Uma tragédia". Desce o pano e a gente aproveita para ir a correr vomitar à casa de banho.

para mim disse...

Bem dito, Joana. E eu a pensar que não sabia ler ou que não tinha visto todas as notícias e que a culpa era minha por não entender nada do que se estava a passar. Do pouco que sei, sei que no Canadá há regras bem definidas para a emigração. Ainda há uns acompanhei uma pessoa amiga a uma daquelas reuniões para emigração para o Canadá. fiquei a saber, por exemplo, que não servia de nada ir como turista e depois arranjar trabalho e legalizar-se. É possível ir como turista, isso sim, e, se arranjar uma possibilidade de trabalho, é depois preciso regressar a Portugal e requerer aqui um visto de trabalho. Aquilo não como ir a salto para França... Os portugueses estão é mal habituados a cumprir estas regras...