"If I ever allow genuine compassion to be overtaken by personal ambition, I will have sold my soul" - James Nachtwey

28 dezembro 2005

Provedores do leitor

De há uns tempos para cá parece estar em "cima da mesa" a hipótese da criação de um provedor dos telespectadores na televisão pública, à semelhança da figura do provedor dos leitores que existe nos jornais.
Mas, se formos ver, mesmo nos jornais ele praticamente não existe. Para ser mais precisa, de entre os três principais jornais diários (Correio da Manhã, Diário de Notícias, e Público), apenas o Diário de Notícias tem a figura do provedor, função desempenhada por José Carlos Abrantes.
No Público, já existiu em tempos um Provedor. Mas neste momento não há.
No Correio da Manhã nunca existiu.
E fará falta um provedor dos leitores? Sou da opinião que sim. Demonstra vontade por parte de um jornal de manter o "diálogo" com os leitores, capacidade de se auto-criticar, desejo de contribuir para fazer melhor jornalismo, e sobretudo desejo de ir adaptando o jornal ao seu público, porque afinal é para ele que este é feito.
Em última análise, parece-me que tudo o que possa contribuir para fazer um melhor jornalismo é positivo. E a figura do provedor pode, a meu ver, contribuir para isso. Só é pena que apenas um dos principais jornais diários mantenha essa iniciativa...

4 comentários:

Nelson Silva disse...

Concordo com tudo, Joana, mas não convém esquecer o provedor dos leitores do Jornal de Notícias.

Joana Capitão disse...

Obrigada pela chamada de atenção, efectivamente faltou referir o Jornal de Notícias.
É pena realmente que mais jornais não tenham essa iniciativa (ou, no caso do Público, a retomem).

Nelson Silva disse...

O Público já anunciou um novo provedor, mas sinceramente não me recordo do nome. Efeitos da hora e de um longo dia de trabalho...

Joana Capitão disse...

Não tinha conhecimento disso, mas sendo assim é uma boa notícia.
Resta saber para quando a entrada em funções desse novo provedor...