"If I ever allow genuine compassion to be overtaken by personal ambition, I will have sold my soul" - James Nachtwey

13 novembro 2006

Publi (quê?)

A edição de hoje do Destak traz, numa página, aquilo que chama de "Publireportagem".
Pára tudo. Pausa para pensar. Querem ver que se esqueceram de me ensinar isto no curso de Ciências da Comunicação? Revejo rapidamente os tipos de reportagem. Os géneros jornalísticos.
Não. Definitivamente não. Não reconheço este género híbrido. É publicidade, não é reportagem. É reportagem, não é publicidade. Tenham paciência. Não corrompam o jornalismo mais do aquilo que já está.
A tal "publireportagem" consiste num texto sobre os benefícios da soja. Adivinhem qual a base do produto que publicita (perdão, que jornalisticamente reporta)? Isso mesmo, a soja!
Vou anotar no meu bloco de notas este novo género jornalístico. Na lista das coisas a nunca fazer.
Já agora, quem escreveu a reportagem? Um jornalista? Resposta afirmativa, é grave. Resposta negativa, é grave na mesma. Não há ponta por onde pegar nisto.

4 comentários:

para mim disse...

Parabéns pela tua decisão de regressares. Já fazias falta!

Entropic Thing disse...

Olha, pensando bem, o Destak está a fazer aquilo que muitos jornais e televisões já fazem há muito tempo; a diferença é que o fazem de forma velada.
Parabéns ao Destak, que pelo menos se assume e ainda por cima cria um novo género jornalístico! Isto há que inovar!

Anónimo disse...

A publireportagem foi inventada em Angola, onde é normal um jornal receber pelas reportagens que publica.

joshua disse...

Foi um publijornalista.